Google+ Badge

sábado, 27 de julho de 2013

Parabéns aos avós

Ontem foi o dia dos avós, mas a minha passada aqui pelo blog não foi possível, por isso quero agora Parabenizar a todos os avós, em especial a Vovó "Nala", ao Vovô "Edegai" e a Vovó "Sonha", que são os melhores avós do mundo, que fazem a diferença na vida da minha filha, que transmitem a ela respeito, carinho, dignidade e muito, mais muito amor.
Vô e Vó é tudo em dobro, o amor é em dobro, o carinho é em dobro, as brincadeiras são em dobro, as guloseimas são em dobro, a arte é em dobro.... Tem muita gente que diz que os avós estragam os netos, mas as crianças precisam disso, desse amor mais que incondicional, desse amor sem medos, sem culpa, sem responsabilidades....
Queríamos muito estar perto de vocês três para poder enchê-los de beijos, abraços, carinho e falar que amamos muito vocês. 
Obrigada Pai, Mãe e Sogrinha por amarem tanto a minha filha e por fazerem os olhinhos dela brilharem quando fala em vocês.
Parabéns aos meus avós,  Nono e Nona, fortes e guerreiros.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Sopa de pinhão

Olá, outro dia falei sobre os benefícios do pinhão, então hoje resolvi postar uma receita de sopa de pinhão, foi me marido que um dia me convocou a encontrar uma receita dessa sopa e fazê-la para ele. Fica muito gostosa, o maior trabalho é descascar o pinhão, mas hoje em dia já existem descascadores de pinhão que facilitam muito na preparação desta receita, eles são vendidos em lojas de utilidades doméstica. 
Vamos para a receita:



Ingredientes:

4 colheres de sopa de manteiga
4 xícaras de pinhão cozido e picado
1 colher de sopa de cebolinha verde picada
1 colher de sopa de cebola picada
1 dente de alho picado
3 colheres de sopa de bacon picado

Modo de preparo

Aqueça a metade da manteiga e refogue 3 xícaras de pinhão junte dois litros de água fervente e deixe cozinhar por 5 minutos. Retire do fogo e deixe amornar, bata no liquidificador e reserve. Em outra panela aqueça o restante da manteiga,  refogue o bacon, a cebola, o alho e acrescente 1 xícara de pinhão cozido e picado, acrescente o pinhão batido e junte a cebolinha picada, deixe ferver por mais uns 10 minutos, mexer se necessário.

Aí é só servir com torradas e um queijo para derreter bem!

Abraços a todos e bom inverno!

Marilia Strege



    segunda-feira, 24 de junho de 2013

    Criança na cozinha

    Quando estava na faculdade tinha aula de nutrição clínica, e fazia atendimento em laboratório, atendi vários casos de crianças que não comiam de jeito nem um, era o desespero das mães, pois se tem alguma coisa que deixa uma mãe preocupada é quando seus filhos não querem comer. Para nós alunas do curso de nutrição isso era muito fácil de resolver, e em 98% dos casos o problema era resolvido. Depois de formada trabalhei com atendimento clínico e também tive alguns casos neste sentido, o que também consegui resolver com sucesso. Agora que sou mãe e tenho uma filha que não é muito adepta a comer percebi como isso é difícil, no papel de profissional é muito mais fácil, mas quando você se depara com o problema na situação de mãe as coisas se tornam muito mais complicadas.
    Me vendo nesta situação, resolvi trabalhar da seguinte forma, levo a Daniela comigo para a cozinha (claro que com todo o cuidado do mundo), mostro para ela todos os alimentos, conto como faço, quais as qualidades e funções do mesmo, peço a ajuda dela para fazer algumas preparações e quando meu marido chega em casa contamos para ele que foi ela que me ajudou a fazer, isso a deixa muito importante. Ela já me ajudou a fazer muitas coisa, como pão, bolos, almoço, salada de frutas, sobremesas, entre outras.
    Também levo ela a feira e ao mercado, mostro o que vamos comprar e explico o que dá para fazer com aquele alimento, deixo ela escolher algumas frutas, verduras e legumes. Toda a nossa conversa é como se fossemos duas pessoas adultas, falo com ela de igual, para que registre as informações de forma correta, e para ela é o máximo, pois já se considera uma moça. 
    Isso tem ajudado ela a sentir vontade de experimentar os alimentos, claro que ainda tenho muitos dias de desespero porque ela não quer comer nada, mas as coisas tem melhorado muito, o importante é não desistir e não fazer da alimentação um problema. Confesso que teve momentos em que pensei que nunca iria conseguir fazer ela comer, fiz muita coisa errada, mas ainda bem que sempre é tempo de consertar os erros.
    Vale ressaltar que a cozinha é um lugar de perigo constante, por isso eu tomo o maior cuidado, nada de proximidade com fogão, facas e alimentos que possam causar desconforto, como pimenta, eu explico que tem coisas que só a mamãe pode fazer porque já é adulta.
    Sei que não é nada fácil quando nossos filhos não querem comer, mas é preciso muita paciência e dedicação e um pouco de envolvimento deles no preparo da comida da família pode trazer ótimos resultados.

    Um grande abraço a todos

    sábado, 22 de junho de 2013

    Que tal um pinhãozinho?

    Gente que delícia esse friozinho, na verdade o que eu acho de delicioso neste frio são as comidas que parece que nesta estação ficam ainda mais gostosas, principalmente as que só tem nesta época. 
    Ainda não ouvi ninguém me falar que não gosta de pinhão, aqui na nossa região temos fartura do mesmo, por isso virou mexeu aqui em casa tem aquele cheirinho de pinhão cozido, também adoro pinhão na chapa, mas para isso preciso de um fogão à lenha e como aqui não é possível deixamos essa preparação para a casa do vovô e da vovó.
    Não é só ao paladar que o pinhão tende a agradar, mas também a nutrição, como também sou nutricionista  e não somente mãe  resolvi  falar um pouquinho sobre o valor nutricional deste alimento.
    O pinhão é um alimento rico em ferro, manganês, potássio, zinco, cálcio e fósforo, mas mesmo sendo um alimento tão rico destes nutrientes não posso deixar de ressaltar que é um alimento bastante calórico, podendo apresentar até 20kcal por semente, então o consumo deve ser moderado, principalmente em casos de dietas hipocalórica (dietas de emagrecimento). Mas continuando a falar das coisas boas, o pinhão ainda apresenta uma quantidade significativa de vitaminas do complexo B o que junto com o  zinco o torna um alimento  de grande importância para a nutrição cerebral. Deixando o pinhão ainda mais importante posso dizer que é rico em fibras o que ajuda no funcionamento intestinal, e ainda auxilia no controle de colesterol e diabetes.
    Crianças maiores de dois anos podem comer pinhão, mas deve ser observado, pelos pais, se o mesmo não causa alergias, ou desconforto gástricos. Alguns profissionais restringem o consumo para crianças menores de dois anos, por ser um alimento considerado forte e poder provocar desconfortos gástricos (gases). 

    Tabela de valor nutricional do Pinhão cozido 100g (fonte TACO)


    174.4kcal = 732kj
    43,9g
    3,0g
    0,3g
    0,1g
    0,2g
    15,6g
    15,8mg
    27,7mg
    0,4mg
    53,0mg
    0,8g
    165,8mg
    0,8mg
    727,0mg
    0,2ug
    0,8mg
    0,9mg

    Depois de saber disso tudo sobre o pinhão, vamos aproveitar a estação para fazer várias receitinhas com o mesmo, ou consumir de forma cozida ou assada na chapa que fica uma delícia.
    Bom final de semana e ótimo início de inverno, "ai que frio!"

    Abraços 
    Marilia

    sexta-feira, 21 de junho de 2013

    rocambole de leite ninho

    Essa receitinha eu aprendi com minha sogra, é uma delícia, fácil, prática e faz o maior sucesso, sem contar que as fatias do rocambole ficam muto bonitinhas, ótimo para agradar a criançada.







    Rocambole de leite ninho

    Ingredientes:

    Massa
    1/2 lata de leite ninho
    3/4 da lata de leite condensado
    6 colheres de sopa de nescau
    Recheio
    50g de coco ralado
    1/4 da lata de leite condensado
    1/4 da lata de leite de vaca

    Modo de preparo:

    Recheio:
    Em uma panela colocar o coco, o leite condensado e o leite de vaca, cozinhar em fogo baixo até encorpar.
    Massa:
    Misturar o leite em pó, o leite condensado e o nescau, amassar tudo até ponto para enrolar.
    Abrir a massa em cima de um plástico próprio para alimento, com auxílio de um rolo de macarrão, espalhar o recheio sobre a massa, enrolar e levar a geladeira envolto no mesmo plástico. Cortar em fatias e servir gelado.

    Dá para chamar a criançada para ajudar a preparar o rocambole, eles vão achar o máximo.

    Abraços.

    domingo, 9 de junho de 2013

    Mãe, trabalha fora ou fica em casa?

          Gente como é difícil ser mãe neste mundo tão moderno, tão capitalista. Já pararam para pensar que se você é uma mãe por tempo integral te julgam porque você não trabalha e não colabora com as despesas do lar, ainda falam que você só fica em casa (absurdo). Se você é uma mãe que trabalha fora e deixa seu filho com babá, com avós, na escola, você é sem coração, deixa o filho para trabalhar, não importa a escolha que você faça, a sociedade vai te julgar. E nós mesmo nos julgamos e julgamos as outras mães, carregamos conosco essa culpa que "mata". Eu larguei meu emprego para me dedicar a minha filha, no começo foi extremamente difícil, mas aos poucos eu fui aceitando a situação, confesso que tudo melhorou quando participei de um fórum em um blog e muitas mães comentaram, deram sua opinião e percebi que eu não era a única nessa incerteza, que a maioria das mães tinham culpa, seja por trabalhar fora ou não.  E sabe que hoje eu penso que cada mãe opta pelo que é melhor para si e para sua família, tem aquelas mulheres que não conseguem  ficar em casa que precisam ter uma vida profissional, outras que não conseguem deixar a cria com ninguém (meu caso) e aquelas que necessitam trabalhar para colaborar no roçamento familiar, seja qual for o perfil da mãe, e a escolha feita o importante é educar e dar muito amor para seus filhos. O certo ninguém sabe qual é, o importante é ser feliz na sua escolha e aceitar a sua situação. 
    E vou dizer: COMO É BOM SER MÃE!

    sexta-feira, 7 de junho de 2013

    Nossos pequenos e a tecnologia

            Muita gente diz que as crianças de hoje nascem com um chip, pois elas tem uma facilidade incrível para aprenderem a manusear aparelhos celulares, computadores, smartphones, tablets, iphones entre outros. 
           Meu pai fica admirado em ver que seus netos manuseiam a tecnologia com muita facilidade, enquanto ele sente dificuldade em domar um simples celular. As crianças já nascem em meio a muita tecnologia, e essa convivência diária faz com que elas desenvolvam uma grande intimidade com o mundo tecnológico. 
          A tecnologia está presente em nosso cotidiano, desde a hora em que acordamos até quando vamos dormir, se pararmos para pensar, acordamos com o despertador do celular e dormimos depois de passar o dia verificando e-mails, descontraindo nas páginas de relacionamento, usando microondas, dirigindo em ruas com semáforos, entre outras coisas. O mundo é voltado para a tecnologia, o que facilita e agiliza muito a nossa vida, aí me pergunto, como nossas crianças não vão se tornar tão íntimas a essa modernidade?
           Minha filha de 2 anos e meio e meu sobrinho de 4 anos, adoram os joguinhos de celular, eles brincam e jogam juntos, cada um no seu (das mães), com seus gostos e níveis de dificuldade. Confesso que troquei o meu celular antigo, que apenas fazia e recebia ligações e mensagens, por um mais moderno porque minha filha adorou os joguinhos no celular de minha irmã (mãe do meu sobrinho). Mas ela não passa o dia grudada ao aparelho, apenas pede em alguns momentos, joga alguns minutos e logo cansa. No começo era eu quem colocava o joguinho, hoje ela mesmo acessa. Claro que tudo com minha supervisão, sou eu quem baixo os joguinhos e ela que decide qual quer jogar. O aparelho não é dela, acredito que existe um momento certo, a ser observado pelos pais, para que as crianças possuam seus próprios aparelhos.
           O mundo anda, cada dia mais, num ritmo acelerado com relação a tecnologia, muitas escolas usam tblets com programas avançados dentro da sala de aula, como seu material de ensino. Como privar nossos filhos disso tudo? Se não apresentarmos e ensinarmos a eles como usar tudo isso, como dizem meus pais " o mundo ensina" e é aí que vem as dificuldades. O uso correto e dosado desses equipamentos faz bem a todas as pessoas, sejam elas adultas, crianças ou idosos, as crianças só necessitam de um cuidado maior dos pais, controle de acessos da internet, controle de tempo no uso dos aparelhos, supervisão dos pais, e até mesmo usar os aparelhos para brincarem juntos. Claro que não devemos esquecer que criança precisa correr, andar de bicicleta, subir em árvore, desenhar, pular e brincar, brincar muito para se desenvolver com saúde. 
           Confesso que me assusta em pensar que existe muitas crianças que não sabem ler, escrever, amarrar os sapatos, usar o vaso sanitário, mas tiram de letra e viram de ponta cabeça aparelhos tecnológicos. Por isso vamos prestar atenção e aprender a manusear esses aparelhos, porque já existem muitos filhos ensinando seus pais, o que eles fazem com a maior facilidade e são umas graças.

    sábado, 4 de maio de 2013

    A tal da "hora de dormir"

    Estou eu aqui revirando a internet para ver se acho boas dicas de como fazer com que minha filha durma sozinha, o meu desafio não é tirá- la da nossa cama ou de nosso quarto, mas sim fazer com que ela consiga adormecer sem a minha presença no quarto dela. Tenho procurado conversar para que entenda que isso é importante, faço um certo ritual e vou saindo do quarto, explico que a mamãe e o papai estão em casa e que ela está segura, mas a danadinha não consegue pegar no sono e fica me chamando o tempo todo, isso tem me tirado do sério. Sinto que ela não tem medo, mas que tem a necessidade de minha presença ali. Sei que fui eu quem dei essa "manha" para ela e que agora tenho que trabalhar para reverter essa situação, mas tem sido muito mais difícil do que imaginava. 
    Achei um texto na internet e retirei um pedaço que acredito ser bem a minha realidade e de muitas outras mães:
    Seu filho não dorme sozinho de jeito nenhum? Toda vez que acorda no meio da noite chama você? O melhor a fazer é ensiná-lo a adormecer por si só. Não há certo e errado nesse assunto. Cada família é de um jeito. 

    Há diversas "teses" de como ensinar a criança a dormir. A maioria delas baseia-se no mesmo princípio: seguir sempre a mesma rotina, para que ela saiba o que esperar e se prepare para dormir, e ser firme. 

    A vantagem desta idade é que já dá para conversar com a criança. Você pode dar a ela algum boneco ou bichinho de brinquedo, que lhe faça companhia e proteja de eventuais medos. A transição do berço para a cama também pode ajudar no processo: talvez seu filho fique todo orgulhoso de ter uma cama nova e se conforme mais em ficar nela. 

    Boa parte das técnicas ensina a colocar sempre a criança de volta na cama, sem conversar muito. Repita que é hora de dormir, leve-a de volta para a cama e saia do quarto. 

    Se seu filho só dorme se você estiver junto, você pode ir aumentando a distância todo dia um pouquinho, até chegar à porta. Depois, comece a sair do quarto por alguns minutos, sempre voltando quando ele chamar (mas sem conversar). 

    Você pode tentar aplicar a estratégia de "deixar chorar": agora que a criança não está mais no berço, a coisa se complica, porque é preciso pôr um portãozinho no quarto ou até fechar a porta. Para dar certo, a criança precisa entender que, por mais que ela berre, grite, chore, faça cocô ou até vomite, é hora de dormir, não tem jeito, e ela vai ter de voltar para a cama. 

    Se ele vomitar ou fizer cocô, troque a fralda, limpe tudo, dê banho, se necessário, mas sem conversar muito e sempre deixando claro que depois ela vai direto para a cama. 

    Alguns autores recomendam que se volte ao quarto periodicamente. Já outros pais acham que, voltando ao quarto, a situação só piora, e que é melhor deixar chorar por um tempo maior, até a criança adormecer. 

    Apesar de ser um método que dá muita dor no coração, ele pode funcionar em poucos dias. Há pessoas, porém, que não aguentam ver o filho chorando, ou que percebem que a criança está verdadeiramente apavorada, e preferem mudar de estratégia. 

    Lembre-se: não há um jeito certo e um jeito errado. Mas saber adormecer por conta própria é uma conquista que só vai facilitar a vida do seu filho. 

    http://brasil.babycenter.com/a3400218/como-criar-bons-h%C3%A1bitos-para-dormir-2-a-3-anos#ixzz2SNlQoPfV
    Amanhã começo a seguir essas dicas, vamos ver se vai dar certo e acalmar os ânimos por aqui. 
    Vou seguindo com minhas pesquisas e tentativas, mas se alguém tiver uma dica vou adorar saber....

    Abraços

    Marilia

    sexta-feira, 26 de abril de 2013

    Receita deliciosamente saudável


          Outro dia estava na casa da Nona (minha avó materna) e ela me serviu um bolo muito gostoso, uma delícia mesmo, claro que pedi a receita e ela me falou que pegou no verso de um pacote de alguma farinha que ela havia comprado, mas ela tinha dado algumas incrementadas. Copiei e resolvi incrementar um pouco mais, ficou ótimo e a receita foi se espalhando por aí. É um bolo totalmente integral, ninguém acredita que vai dar certo e muito menos que vai ficar bom, mas é de surpreender, até os pequenos adoram. Já comprei aquelas misturas prontas, que encontramos em lojas de produtos naturais, fica um bolo muito gostoso, mas esse, que vou passar a receitinha aqui, eu acho muito mais saboroso.
    Lá vai:

    Bolo integral da Nona

    Ingredientes:

    3 bananas 
    1 maçã pequena
    1/2 copo de leite
    1/2 copo de óleo de milho
    2 ovos
    2 colheres de sopa de mel
    1/2 xícara de açúcar mascavo
    1/2 xícara de farinha integral 
    1/2 xícara de aveia
    1/4 de xícara de germe de trigo
    1/4 de xícara de farinha de centeio
    1 colher de sopa de farinha de linhaça
    1 colher de sopa de farinha de quinoa
    1 colher de sopa de fermento químico
    Castanha ou nozes picadas.
    aveia em flocos para polvilhar

    Modo de preparo
    Bater os sete primeiros ingredientes no liquidificador. Misturar todos os outros ingredientes secos em um recipiente, acrescente a mistura do liquidificador mexendo levemente. Despeje a massa em uma forma retangular untada e polvilhe aveia em flocos. Assar em forno médio.

    Fica uma delícia e dá  para colocar damasco ou uvas passas.
    É uma boa pedida para o café da manhã e do final de semana.

    Abraços


    sexta-feira, 19 de abril de 2013

    Meu filho vai para a escola. E agora?



    No final deste ano minha filha completa três aninhos e no início do ano que vem (2014) ela parte para uma nova etapa de sua vida “a vida escolar”. Durante esses três primeiro anos eu achei essencial que ela ficasse no ambiente familiar, mas assim que ela completar seu terceiro ano de vida eu vou matricular ela na escola.
     Bom, essa decisão foi simples para mim, mesmo quando estava grávida já havia decidido, depois de conversas com meu marido, outras conversas com minha irmã, que é mãe de dois meninos, professora e pós graduada em educação escolar, com uma amiga minha que também é mãe (de uma das melhores amigas da minha Daniela) e pedagoga. Resumindo isso foi simples o difícil veio agora, escolher a escola, por isso decidi escrever aqui o que pesquisei e observei nas escolas que já estive visitando.
    Um dos pontos importantes é começar a visitar escolas com uma boa antecedência, pois as matriculas geralmente começam na primeira quinzena de outubro, e as boas escolas fecham as turmas e ficam totalmente sem vagas muito rápido, quanto antes começar a procura, mais tranqüila fica a escolha.
    Eu procurei sempre conversar com pais em parquinhos, clube, festas de crianças, perguntado para eles em que escola seus filhos estudavam, o que achavam da mesma, o que já ouviram falar da escola tal e assim por diante, isso me ajudou a chegar com uma pré- visão das escolas. Mas também devemos tomar muito cuidado para primeiras impressões e opiniões de outros pais, o importante é formamos nossas próprias conclusões.
    É muito importante observar a proposta pedagógica da escola e junto com isso os trabalhos desenvolvidos com os alunos, como de valores sociais, respeito com as diferenças, se a escola segue um mesmo padrão de valores, costumes e culturas próximos ao da família. Observar também se a escola segue padrões financeiros que cabem a família arcar, pois manter um filho na escola não fica apenas em pagar mensalidades e materiais, devemos seguir a realidade financeira da família.
    A estrutura física da escola deve ser levada em conta, assim como limpeza, e organização dos funcionários. As salas devem se amplas claras e bem arejadas. A quantidade de alunos por turma foi uma das minhas perguntas, li que o Conselho Nacional de Educação exige 1 professor para cada;
     6 a 8 alunos até 2 anos,
    Até 15 alunos de 3 anos
    20 alunos de 4 a 6 anos.
    Muitas escolas usam o método de 1 professor e um auxiliar, sendo os dois capacitados para o cargo.
    Muitos especialistas dizem que o ideal seria uma escola perto de sua casa, mas que também é viável escolher uma escola longe de casa que ofereça um estudo de melhor qualidade. Eu optei por fazer uma seleção das escolas do meu bairro, que são ótimas, prefiro evitar o trânsito e o tempo dentro de um carro, que geralmente não é nada atrativo para as crianças.
    Como diz a minha mãe “beleza não é tudo”, por isso acredito que uma escola bonita não é tudo, claro que qualidade de estrutura física é importante, mas muitas escolas são muito caras por serem mais bonitas e luxuosas, mas não é isso que forma nossos filhos. A escolha não parece ser fácil, mas é uma delícia só de imaginar eles na escola. 
    Eu ainda sigo no processo de procura, e espero ter ajudado outras mães que estão na mesma situação que a minha e se possível ainda quero receber dicas.
    Um grande abraço.



    terça-feira, 16 de abril de 2013

    Drama de muitas mães

    Hoje estive olhando o blog Minha mãe que disse, onde eu participei de um fórum a mais ou menos uns 8 meses, falando sobre a culpa que carregamos por deixar de trabalhar fora para cuidar dos filhos, eu realmente me surpreendi com a quantidade de comentários que teve neste tema, de saber que são muitas as mães que passam por essa situação, e hoje depois de 8 meses vi que as pessoas ainda estão comentando, por isso resolvi postar aqui para quem tiver interesse dar uma olhadinha e para quem ainda não conhece esse blog se deliciar com as informações existentes lá.
    http://minhamaequedisse.com/forum/culpa-por-nao-trabalhar-oi/

    Um grande abraço

    sábado, 13 de abril de 2013

    Caixa de brinquedos original

    Sempre gostei de estar inventando coisas novas para a Daniela, e como a cada ano que passa as crianças acumulam mais brinquedos, nós encontramos menos espaço para guardá-los. Eu uso algumas caixas organizadoras de plástico, aquelas que compramos em supermercados ou lojas de utilidades domesticas, mas essas caixas organizadoras geralmente são um tanto caras, nem um absurdo, mas aquelas decoradas ou de personagens tem um valor mais "salgado", ao meu ver.
    Eu sempre comprei fralda de caixa para a minha pequena e outro dia olhando para aquela caixa, pensei: ficaria ótima para guardar brinquedos. Peguei umas tintas que tinha em casa, aquelas que usamos para pintar   mdf, uns recortes de coração um pouco de verniz e usei a criatividade. O resultado foi esse:


    A caixa era assim:


    E ficou assim:

    A minha pequena Daniela adorou, já faz uns seis meses que criamos esta caixa e ela puxa para lá e para cá, e a caixa está resistindo, tanto a pintura quanto a colagem a Daniela me ajudou a fazer, isso foi o mais gostoso de tudo. A caixa ficou perfeita embaixo da prateleira de brinquedos, o único problema é que eu só pensei em fazer a caixa quando a Daniela já estava saindo das fraldas, por isso nunca mais comprei fraldas em caixa, agora estou querendo mais uma para colocar ao lado dessa, com MAISSSS brinquedos....

    domingo, 24 de fevereiro de 2013

    Exemplos!!!!!

    Outro dia parei para observar como minha pequena Daniela tem feito tudo conforme eu faço, pequenos detalhes que eu não sabia de onde ela tinha tirado, e acabei por perceber que eu era quem fazia aquilo. Pensando nisso fui para a internet procurar um vídeo muito interessante que meu marido já havia me mostrado a algum tempo, antes mesmo da Daniela fazer parte da nossa vida, e achei interessante postar aqui.
    Sei que falar sobre exemplos que damos aos nossos filhos já é um assunto meio manjado, mas tenho certeza que é um dos "detalhes" mais importantes da educação de uma criança e que deve ser sempre lembrado...


    Um grande abraço....

    Marilia

    sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

    Olá!

    Oi gente, sou nova por aqui e estou aprendendo como é a vida social de blogueira, vamos ver como vou me sair.
    Vou falar um pouquinho de mim, sou mãe de uma menina linda de 2 anos e 2 meses, casada com uma pai e marido maravilhoso. Sou mãe e esposa de tempo integral, me formei em nutrição, mas sou apenas nutricionista do lar, deixei minha profissão em segundo plano para cuidar dos meus dois amores. 
    Passo o dia todo com a minha pequena, por isso temos que estar sempre inovando nas brincadeiras, para que a rotina não bata em nossa porta, olha sempre achei que tivesse um bom pique, pois sempre trabalhei bastante, mas vou dizer que acompanhar essa pequenina pessoa não é fácil.... muita energia!!!!!!
    Espero que eu possa trocar muitas informações por aqui, aproveitar o tempinho em que ela dorme para dar uma relaxada na internet....
    Vamos lá ver no que dá.....

    Um grande abraço a todos,

    Marilia